quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Quando a dualidade desaparece

Interagir, integrar-se, entregar-se. Tornar-se um só com a água. A dualidade entre o ser e a água desaparece. O ser se torna parte da água.
Compreende e vive em harmonia com ela. Não a teme, mas a respeita, pois a conhece profundamente. Sabe de suas propriedades, sua força, sua sutileza e age de acordo com isso, assim nada com prazer, sem esforço e a natação torna-se algo muito além de um esporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores