sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Aprendendo a nadar com os animais

            Observar peixes e outros animais aquáticos em seu ambiente e imaginar-se nadando como eles é como voltar a ser criança, sonhar. Nunca nadaremos como eles mas podemos aprender muito observando-os, e usar isso para nossa natação. Devemos primeiro entender o que realmente é nadar como um desses animais. Se ficarmos focados em nadar rápido nos afastaremos cada vez mais da ideia de nadar como eles pois, a velocidade é uma consequência da forma como nadam, independente do tamanho e força, proporcionalmente, comparados a nós seres humanos, são todos rápidos quando necessário.
             Os órgãos responsáveis pela propulsão e equilíbrio dos peixes na água são as nadadeiras ou barbatanas. Nos mamíferos aquáticos, como as baleias e focas, as barbatanas são transformações das extremidades dos membros (mãos e pés). Ao observarmos estes animais em movimento notaremos que não há rigidez em suas nadadeiras, elas cedem à flexão e à pressão num estado de maleabilidade e flexibilidade. Então devemos crer que se fizermos o mesmo com nossas mãos e pés de forma coerente enquanto nadamos, seremos capazes de nadar melhor, com menos esforço.  
         Os golfinhos e baleias respiram através de um orifício localizado acima da cabeça, que é por onde eles expelem o ar e pegam fôlego para mergulhar. Este orifício está assim localizado para que não seja necessário elevar toda a cabeça fora da água para respirar, poupando esforço e energia. O nado de costas nos permite uma posição semelhante, boca e nariz ficam para cima enquanto a maior parte da cabeça está dentro da água. O Nado crawl também, pois no momento da respiração giramos até a boca e nariz saírem da água mantendo a maior parte da cabeça dentro. 
          Outro animal que nos faz pensar é o urso polar. Ele é um excelente nadador, nada num estilo cachorrinho usando seus membros dianteiros para propulsão, alcançando uma velocidade de até 9,7 km/h. Não é interessante esse detalhe de usar apenas os membros dianteiros para propulsão? Não usar os membros traseiros talvez economize energia e não faça diferença na propulsão. A pernada no nado crawl por exemplo tem uma função de sustentação e equilíbrio, ela parece ser propulsiva mas, na verdade, quando faz sua função de sustentação e equilíbrio do nado ela otimiza a propulsão dos braços deixando o corpo todo mais horizontal, próximo da superfície da água, diminuindo a resistência e facilitando o deslize, melhorando assim a velocidade e diminuindo o esforço. 
           Não é apenas uma questão de imitar os animais e sim compreender a mecânica dos movimentos que os fazem nadar com naturalidade. Ainda há muito o que observar e aprender com as mais variadas espécies de animais que tem a água como meio ambiente ou que passam boa parte de suas vidas nela e assim, vamos aprendendo, para nadar cada vez melhor.

Seguidores