A Mente Alerta


A meditação não é para obter respostas, mas sim, para se fazer perguntas. Deixar os pensamentos fluírem, observá-los, como se estivéssemos diante de um rio que corre e ali observássemos o que passa por ele. As respostas virão.

Viver o momento presente para vivermos melhor o momento futuro. O futuro não existe, apenas o momento presente existe.

Ninguém pode fazer por nós o trabalho de despertar. É algo que apenas cada um de nós pode fazer.

A concentração tem a ver acima de tudo com atenção e percepção, que são qualidades humanas universais. Mas em nossa sociedade tendemos a contar com essas qualidades, e não pensamos em desenvolvê-las sistematicamente a serviço da auto compreensão e da sabedoria. Meditação é um processo pelo qual aperfeiçoamos nossa atenção e percepção, refinando-as e conduzindo-as para um maior uso prático em nossas vidas.

Você precisa estar pronto para a meditação. Você precisa encontrá-la no momento certo de sua vida, num momento em que você esteja preparado para ouvir cuidadosamente sua própria voz, seu próprio coração, sua própria respiração – justamente para estar presente para eles e com eles, sem ter de ir a qualquer lugar ou fazer algo melhor ou diferente. Isto é trabalho árduo.

A concentração é um conceito simples. Seu poder reside em sua prática e suas aplicações. Concentração significa prestar atenção de uma maneira particular: com propósito, no momento presente e sem julgar. Esse tipo de atenção estimula um maior estado de consciência, clareza e aceitação da realidade presente.

A concentração nos fornece um meio simples mas poderoso de nos mantermos livres, voltados para nossa própria sabedoria e vitalidade. A chave desse caminho é a valorização  do momento presente e o cultivo de uma íntima relação com ele por meio de uma contínua atenção tomada com cuidado e discernimento. É um caminho diametralmente oposto à idéia de considerar a vida como um fato consumado.

Quando nos empenhamos em prestar atenção de uma maneira aberta, sem sermos presas de nossas preferências e aversões, opiniões e preconceitos, projeções e expectativas, novas possibilidades surgem e temos uma oportunidade de nos libertarmos da camisa-de-força da inconsciência.

A concentração é simplesmente a arte de viver consciente.

Pode ser simples praticar a concentração, mas não é fácil. Ela exige esforço e disciplina pelo simples fato de que as forças que agem contra nosso estado concentrado – ou seja, nosso habitual automatismo e inconsciência – são excessivamente tenazes.

A concentração é libertadora porque nos leva a novas maneiras de ser dentro de nós mesmos e no mundo, e pode nos libertar da mesmice em que frequentemente  caímos. E é fortalecedora porque estar atento dessa maneira abre canais para profundas reservas de criatividade, inteligência, imaginação, clareza, determinação, discernimento e sabedoria que estão dentro de nós.

Chamamos  o esforço para cultivar nossa habilidade para sentir o momento presente de “prática” ou “prática de meditação”.

Na prática da meditação o melhor caminho para chegar a algum lugar é deixar de tentar chegar a qualquer lugar, apenas compreendendo onde você já está.

A mente alerta. Kabat-Zinn, Jon. – Rio de Janeiro: Objetiva, 2001

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores